As Estrias e sua regeneração com “Microcorrentes”

Saúde e beleza são dois fatores importantes para uma melhor qualidade de vida. Pensando nisso, a Alergoclínica, que já dispõe de vários serviços na área de alergia e dermatologia, oferece também serviços na área de estética, entre eles o tratamento de estrias, problema que aflige um grande número de indivíduos.

As estrias constituem lesões de pele adquiridas, de ocorrência freqüente em ambos os sexos, especialmente nas mulheres à partir da adolescência. Apresentam-se bilateralmente, paralelas umas às outras, inicialmente rosadas ou avermelhadas e posteriormente esbranquiçadas.

No local das estrias há uma diminuição na espessura da pele, estando esta mais fina em decorrência da presença de uma menor quantidade de todos os elementos formadores da pele. Este é o motivo pelo qual a estria é considerada uma atrofia e tem o seu aspecto em depressão.

A causa da estria ainda é controversa. Muitos autores acreditam que sejam decorrentes de um repentino crescimento da pele, daí afirmarem que a distensão abdominal devido ao crescimento do feto causa estrias na gestante, assim como o súbito crescimento observado na puberdade causa estrias no adolescente. Contudo, essa teoria não é capaz de explicar porque aquele adolescente sempre magro, ou pessoas que nunca passaram por uma gravidez ou aumento brusco de peso apresentam estrias e, ainda, porque mãe de crianças gêmeas que tiveram uma grande distensão abdominal não desenvolveram estrias.

Atualmente, estudos demonstram que a origem mais provável das estrias baseia-se na presença de um hormônio esteróide que tem ação fundamental em todos os quadros em que as estrias surgem. Este hormônio é produzido a partir da puberdade, o que explica a não ocorrência de estrias em crianças, mesmo que obesas.

O tratamento por nós proposto é realizado com a combinação de medicações tópicas, prescritas por dermatologistas e a eletroestimulação. Esta última é realizada utilizando-se um aparelho que emite uma corrente elétrica (galvânica) cuja intensidade é em microampere, (daí os termos: “microcorrentes” ou “microgalvânicas” ). A estimulação é realizada através de uma pequena e fina agulha. O método consiste na introdução superficial desta agulha por todo o trajeto da estria, provocando uma reação inflamatória no local. Em decorrência dos efeitos da corrente elétrica somados ao efeito da inflamação por ela provocada, há uma regeneração do tecido, que retorna à sua forma original.

Este tratamento é sempre individualizado e realizado por uma fisioterapeuta. Inicia-se com uma detalhada avaliação clínica para verificar a indicação do tratamento e fornecer todas as orientações necessárias para o pleno sucesso deste. Também é analisado se as expectativas do cliente são coerentes com as reais possibilidades de resultados.